Museu da Companhia Paulista.

Inaugurado em 9 de março de 1979 para ser um Centro de Referências, Preservação sobre os suportes materiais da memória e a história da ferrovia da cidade de Jundiaí, levando o nome de Museu Ferroviário no Brasil, Irineu Evangelista de Sousa (Barão de Mauá).No entanto, após seu restauro, foi reaberto com novas bases museológicas, em 14 de maio de 1995, denominando-se Museu da Companhia Paulista.

 

Solar do Barão de Jundiaí.

Sua construção original remonta ao século XVIII. Ponto de referência importante para a cidade, o imóvel pertenceu à Antônio de Queiroz Telles, o Barão de Jundiaí. A construção é suntuosa, com características de sede de fazenda do ciclo do café. Atualmente abriga o Museu Histórico e Cultural de Jundiaí, que conta com apreciável acervo histórico, biblioteca, hemeroteca, fototeca, pinacoteca, espelhos venezianos, tocheiros negros franceses, além de outras peças de valor histórico.

 

Museu da Energia de Jundiaí.

O Museu da Energia de Jundiaí está instalado em um edifício industrial construído na década de 1920 para abrigar uma subestação de energia elétrica. Usando muita cor, luz e fotografias, as exposições convidam o visitante a pensar sobre questões importantes da atualidade, como o consumo sustentável da energia e a segurança das redes elétricas. O museu oferece ainda à comunidade um auditório com equipamentos multimídia, uma loja e um espaço para eventos especiais.

 

 

 

 

 

Museus